Centro-Sul

PASTORAL NO AMBIENTE HOSPITALAR

Inspirada na vida e exemplo de São Marcelino Champagnat, expresso na missão Marista de “Tornar Jesus Cristo conhecido e Amado”, a Pastoral do Hospital Universitário Cajuru e do Hospital Marcelino Champagnat se empenham no desenvolvimento da espiritualidade enquanto busca de sentido de vida, por meio do aconselhamento pastoral e da propagação dos valores institucionais aos pacientes, familiares, voluntários e colaboradores.

Nos atendimentos realizados aos pacientes, familiares, voluntários e colaboradores é que o Serviço de Pastoral estabelece relações interpessoais, pautadas nos princípios éticos, cristãos e Maristas. Com base nessas iniciativas, busca-se implantar um processo no cuidado espiritual e na formação humana, levando-se em consideração a pessoa em sua integralidade.

Em 2019, o serviço realizou nos hospitais do Grupo Marista mais de 23 mil atendimentos à pacientes, familiares, voluntários e colaboradores. Além disso, participou de 383 celebrações litúrgicas e prestou 230 assistências espirituais.

  • Para falar bem a verdade, do tempo internado, eu me lembro de duas coisas: aparelhos apitando e a Pastoral ao meu lado! Eu não sei falar quantas vezes eu precisei de oração ou palavras. Mas eu sei que eles estavam lá! Ainda hoje, se eu pudesse, teria a Pastoral aqui em casa comigo. [...] Aos meus amigos da Pastoral do Cajuru: assim como Jesus foi a luz para o mundo. Assim vocês também foram usados, para dar à luz a um menino, que tinha perdido "o seu tudo". Considero vocês tão importantes quanto qualquer setor/equipe, seja UTI, Centro Cirúrgico, Quarto e Psicologia [...].“

    Lucas Camargo de Paula, paciente do Hospital Universitário Cajuru, Província Marista Brasil Centro-Sul, Curitiba (PR)

  • Visita e acolhimento da Pastoral. (Foto: Setor de Pastoral.)

Centro-Sul

HUMANIZAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE

O Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do Hospital Universitário Cajuru e do Hospital Marcelino Champagnat visa aprimorar a humanização no ambiente hospitalar por meio de ações que vão de encontro à Missão Institucional e à Política Nacional de Humanização (PNH).

Por meio de um colegiado multidisciplinar, o GTH busca criar relações de companheirismo e compromisso, proporcionando melhorias no atendimento aos clientes interno e externo. Esse processo se dá por meio da avaliação constante das atividades ofertadas.

Em 2019, destacam-se como iniciativas de Humanização a busca pela certificação internacional Planetree*, pelo HMC, realizadas por meio da sensibilização de aproximadamente 350 colaboradores dentro dessa metodologia e a criação de uma Comissão de Cuidados Paliativos, que busca promover a qualidade de vida do paciente com doença grave, progressiva e que ameaça a continuidade de sua vida, de seus familiares, pela prevenção e alívio do sofrimento, da identificação precoce de situações possíveis de serem tratadas, da avaliação cuidadosa e minuciosa e do tratamento da dor e de outros sintomas físicos, sociais, psicológicos e espirituais.

  • A humanização dentro do hospital é muito importante para um melhor conforto e atendimento e convivência dos pacientes e familiares com a equipe. Um bom tratamento faz com que o paciente melhore mais rápido, e quem faz isso são os enfermeiros, médicos, voluntários o corpo inteiro do hospital, isso é muito importante para a recuperação do paciente e o bem-estar dele aqui dentro. A humanização faz com tenhamos pontos muito positivos, pois o que faz o paciente melhorar não é só o medicamento, mas também o atendimento, o convívio, a empatia da equipe em estar disposto a ouvir e cuidar.”

    Silvana Schuster, técnica de enfermagem da Área da Saúde do Grupo Marista, Província Marista Brasil Centro-Sul, Curitiba (PR)

  • Acolhimento dos colaboradores. (Foto: Setor de Pastoral.)

* O Planetree é uma Certificação Internacional cujo modelo de atendimento hospitalar favorece a recuperação dos pacientes em todos os níveis: físico, mental, emocional, social e espiritual.

Centro-Sul

PASTORAL NO TRÂNSITO

A Pastoral no Trânsito é uma iniciativa fruto da parceria entre a Arquidiocese de Curitiba e o Grupo Marista. Inaugurada em 2018, foi idealizada por estudantes de Teologia da PUCPR e levou dois anos para ser implantada. Tem a finalidade de levar os valores cristãos às ruas em busca da redução da violência e a mortalidade no trânsito.

A Pastoral possui três frentes de atuação: saúde, educação e vias urbanas. A primeira é conduzida no Hospital Universitário Cajuru (HUC) onde voluntários acolhem e dão suporte a familiares e pacientes durante o internamento e após a alta hospitalar. Na educação, o objetivo é transmitir mensagens sobre o comportamento adequado no trânsito a crianças e adolescentes durante a catequese. Já na terceira – nas vias urbanas – o intuito é de se aproximar e oferecer apoio espiritual aos profissionais que trabalham no trânsito, como motoristas de ônibus, taxistas e motoboys.

Na primeira etapa do projeto, voluntários receberam treinamento e capacitação para realizar o atendimento. A segunda etapa contou com a inauguração, em março de 2019, do espaço da Pastoral do Trânsito, um local exclusivo para acolhida localizado no Pronto-Socorro do HUC.

  • “A Pastoral do Trânsito foi um projeto idealizado por tantas frentes de missão, com intuito humanitário, engajado com o que existe de melhor no sentido de humanização, que é a ação. Neste sentido, foi e tem sido um enorme prazer observar a missão de Marcelino Champagnat e a grande concretização da missão de Cristo, traduzidos em forma de ação e acolhimento, realizados pelo time de voluntários da Pastoral do Trânsito, aos pacientes e familiares que adentram o Hospital.”

    Gisele Linhares da Coordenação de Suprimentos Saúde e Projeto Estratégico de Humanização – P5, Província Marista Brasil Centro-Sul, Curitiba (PR)

  • Equipe de voluntários da Pastoral do Trânsito em frente ao Pronto-Socorro do HUC. (Foto: Emerson Alexandre da Silva.)

Centro-Sul

COMISSÃO INTRA-HOSPITALAR DE DOAÇÕES DE ÓRGÃOS E TECIDOS (CIHDOTT)

O Hospital Universitário Cajuru conseguiu ampliar significativamente o número de captações de órgãos após reestruturar sua Comissão Intra-hospitalar de Doações de Órgãos e Tecidos, em agosto de 2012. A integração com a equipe médica do hospital e com a Central de Transplantes foi uma das estratégias para aumentar a taxa de conversão. Mas, a principal delas foi o contato humano com os familiares dos potenciais doadores.

A Comissão é responsável por promover a integração com todas as unidades que dispõem de recursos diagnósticos necessários para atender os casos de possível doação, além de organizar rotinas e protocolos que possibilitem o processo de doação e captação de órgãos e tecidos. Cabe a CIHDOTT promover programas de educação em saúde de todos os profissionais do estabelecimento e da comunidade para compreensão do processo de doação de órgãos e tecidos.

O HUC tem a maior taxa de conversão de entrevistas com as famílias em doações efetivadas no Paraná. Em 2019 foram concretizadas 51 doações e a taxa de conversão foi de 84%, bem acima das médias paranaense e brasileira.

  • Um indicador importante é a taxa de conversão (das entrevistas em doação). O Hospital Universitário Cajuru converte mais de 80%, com baixo percentual de recusa familiar. Nesse ano, a média de recusa no Paraná está em 25% e a do Cajuru é de 19%. No Brasil, a média está em torno de 39%. A gente aponta o Cajuru como modelo, pois o processo é muito bem estruturado e bem realizado. Todo esse resultado do Hospital é de extrema importância para todo o processo de doação e transplantes no Estado.”

    Luana Cristina Heberle dos Santos, enfermeira coordenadora de Projetos e Parcerias da Central Estadual de Transplantes (PR), Província Marista Brasil Centro-Sul, Curitiba (PR)

  • Hospital Universitário Cajuru – referência na captação de doação de órgãos. (Foto: Divulgação.)

Centro-Sul

REACREDITAÇÃO JOINT COMMISSION INTERNATIONAL (JCI) DO HOSPITAL MARCELINO CHAMPAGNAT

O cuidado e a atenção ao paciente são os principais objetivos de estabelecimentos da área da saúde, sejam hospitais, clínicas ou laboratórios. Há diversas certificações e acreditações que reconhecem e atestam a qualidade dos serviços de uma instituição e uma das mais conhecidas em nível mundial é feita pela Joint Commission International (JCI).

Durante a auditoria realizada pela JCI, são analisadas práticas hospitalares, indicadores de segurança, estrutura, gerenciamento de processos, atenção e cuidado com o paciente, capacitação dos recursos humanos, gerenciamento das informações hospitalares, entre outros.

Em 2019, o Hospital Marcelino Champagnat recebeu a Reacreditação JCI a ser oficializada em 2020. Esta é a segunda vez que a instituição receberá o selo dourado, reconhecimento que comprova todo o esforço, dedicação e comprometimento dos colaboradores em garantir o cuidado e a atenção ao paciente, com a qualidade no atendimento e segurança assistencial. O HMC é o único hospital do Paraná e um dos 64 do Brasil que possui a acreditação da JCI.

  • Desde o início de nossa história, escolhemos o manual da JCI por sabermos que possui um processo e uma metodologia mais abrangente e rigorosa com a cultura da segurança. Isso já é uma premissa qualitativa que o Hospital optou antes da sua inauguração. O que justifica isso é a literatura e os trabalhos internacionais mundialmente conhecidos nos quais o Hospital também se baseia.

    Bianca Piasecki, gerente de qualidade do Hospital Marcelino Champagnat (HMC), Província Marista Brasil Centro-Sul, Curitiba (PR)

  • Selo concedido aos hospitais que possuem a Certificação Joint Commission International. (Foto: Divulgação.)

Sul-Amazônia

Hospital São Lucas realiza campanha de doação de órgãos

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos, o Hospital São Lucas da PUCRS lançou no mês de setembro a campanha Meu Legado Salva. A iniciativa teve como foco desfazer mitos sobre o tema e conscientizar a população sobre a importância de se avisar a família, ainda em vida, da opção de ser um doador.

O marco inicial da campanha foi celebrado com a peça teatral Começar Outra Vez, em uma sessão com entrada franca realizada no teatro do prédio 40 da PUCRS. Além disso, a campanha também contou com apresentações do Grupo Tholl e a exibição do documentário Meu Legado Salva, com depoimentos de transplantados e de famílias que autorizaram a doação de órgãos.

Um comparativo do ano de 2018 para 2019 registra um aumento de 33% no número de doações autorizadas no Hospital São Lucas. A taxa de não autorização familiar na Instituição chega a 25%, índice considerado baixo quando comparado ao mesmo indicador no Rio Grande do Sul e no Brasil, que fica em torno de 40%. Esses números levam o HSL a ser o hospital privado com o maior número de notificações de mortes encefálicas e doação de órgãos em Porto Alegre, sendo referência nessa área.

  • Dagoberto Rocha

  • Peça teatral Começar Outra Vez encenada no lançamento oficial da campanha.

Sul-Amazônia

Projeto Acerta estuda as mudanças no cérebro das crianças em fase de alfabetização

O projeto Acerta, desenvolvido no Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer), surgiu com o propósito de melhor entender as mudanças que ocorrem no cérebro das crianças em fase de alfabetização. O principal objetivo é de compreender por que algumas delas desenvolvem transtornos de aprendizagem.

Em conjunto com outros dois centros de pesquisa, em Florianópolis e Natal, estão sendo identificados biomarcadores precoces desses transtornos, por meio do uso da neuroimagem funcional e estrutural. A iniciativa atende crianças de escolas públicas na pesquisa de forma totalmente gratuita. Em 2019, mais de 300 estudantes participaram do estudo.

Paralelamente, o projeto tem o objetivo de divulgar e conscientizar a comunidade escolar sobre os transtornos específicos de leitura (dislexia) e matemática (discalculia), que afetam entre 5 e 10% das crianças em todo o mundo. A pesquisa está organizada em torno de três grandes eixos: avaliação clínico-pedagógica, identificação de marcadores biológicos e construção de modelos preditores de transtornos de aprendizagem.

  • Augusto Buchweitz

  • Logotipo do projeto Acerta. (Foto: Divulgação.)

Sul-Amazônia

HSL e Oncoclínicas formam parceria para o tratamento do câncer

A união entre uma das melhores universidades privadas do Brasil e o maior grupo de oncologia do país no combate ao câncer proporcionou a parceria entre o Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) e o Oncoclínicas, oficializada em novembro de 2019. Dessa iniciativa, surgiu um novo centro de oncologia, com unidade de quimioterapia e consultórios médicos para tratamento, localizados no Centro Clínico do HSL.

A proposta marcou o início do atendimento quimioterápico no Hospital a pacientes que não estão internados. A estrutura dispõe de equipe multidisciplinar para o atendimento integrado do paciente, atuando desde o diagnóstico até o cuidado continuado. Os profissionais do corpo clínico também contam com experiência e reconhecimento internacionais, o que também contribui na excelência assistencial e formação de novos talentos.

Para discussões de casos clínicos, a nova estrutura contará com a parceria científica de um dos mais renomados centros de pesquisa e interações colaborativas para prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer no mundo, o hospital norte-americano Dana-Farber Câncer Institute. Afiliada à Harvard Medical School, a instituição possui com a Oncoclínicas sua única parceria em toda a América Latina.

  • Saulo Gomes

  • Parceria entre Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) e Oncoclínicas oficializada em novembro de 2019.

Sul-Amazônia

Biohub aproxima startups da área da saúde

Em 2019, a PUCRS inaugurou o BioHub, um centro de inovação que reúne o Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc), o Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer), o Hospital São Lucas (HSL) e as Escolas da Universidade.

O BioHub envolve um conjunto de ações com o objetivo de promover a inovação e o empreendedorismo, conectando talentos e conhecimentos para gerar negócios inovadores em ciências da vida. Uma série de projetos estão sendo desdobrados. Um deles é a criação do Healthplus Innovation Center, espaço de coworking de startups de saúde com capacidade para 120 pessoas, instalado no 6o andar do prédio 99 do Campus e gerenciado em parceria com a Grow+, aceleradora de negócios gaúcha com atuação nacional e direcionada à saúde.

  • Carlos Klein

  • Nelson Marchezan Júnior, prefeito de Porto Alegre, participa do evento de lançamento do BioHub.