Início da Causa de Beatificação do Ir. Moisés Cisneros

Início da Causa de Beatificação do Ir. Moisés Cisneros

news_4392O Ir. Emili Turú Rofes, Superior Geral, em reunião do Conselho em 15 de maio de 2017, em consonância com as exigências da Constituição Divinus Perfectionis Magister do Papa João Paulo II, de 25 de janeiro de 1983, e com a aprovação por maioria absoluta de votos, assumiu a responsabilidade de ator da causa do martírio do Ir. Moisés Cisneros Rodríguez, membro do Instituto dos Irmãos Maristas das Escolas, assassinado em Colônia Santa Isabel, cidade da Guatemala, no dia 20 de abril de 1991, com a idade de 45 anos.

Esse ato administrativo é o primeiro passo para iniciar o processo de beatificação do Irmão Moisés. O Irmão Superior Geral, junto com seu Conselho, foi sensível à solicitação apresentada pela Província, na qual afirmava que o Irmão Moisés goza de grande fama de mártir e que esta merece ser reconhecida legalmente pelas autoridades da Igreja.

O Ir. Moisés Cisneros nasceu em 12 de agosto de 1945, em Quintana de Raneros, León, Espanha, no seio de uma família que soube inculcar em todos os seus filhos um profundo sentido da vida e da fé católica, herança já de tradição e de vivência familiar. Iniciou seu apostolado em El Salvador, na Escola Santo Afonso. A partir do Liceu Salvadorenho realizou uma bela projeção na comunidade de Atehuán. Foi fundador da comunidade de Chichicastenango. Sendo diretor da Escola Marista da Guatemala, na zona 6, foi assassinado em seu escritório no dia 29 de abril de 1991.

Com sua morte violenta deixou uma lembrança de dedicação e entrega às pessoas simples de Ateos, Chichi e na zona 6, de atenta preocupação com os jovens Irmãos de sua comunidade, em seus 25 anos como apóstolo entre as crianças e jovens e sua fidelidade até a morte, confirmando o texto evangélico: Se o grão de trigo não cai na terra e morre, fica infecundo; porém se morre, dá muito fruto.”

FONTE: https://champagnat.org